--- Image caption ---

De acordo com os planos do Governo de São Tomé e Príncipe, o objetivo é, até 2030, passar para um setor com quase 50% de energia produzida por fontes renováveis, com uma separação funcional do setor elétrico, onde as atividades de Transporte & Distribuição e da Comercialização serão concessionadas, permitindo-se a entrada de Produtores Independentes na Produção. Neste contexto, a regulação terá que ser reforçada passando, inclusivamente, as tarifas a serem definida pela reguladora.
No âmbito dos compromissos com o Acordo de Paris de combate às alterações climáticas, São Tomé e Príncipe apresentou as suas Intenções de Contribuições Nacionais Determinadas (NDC da sigla em inglês) com metas condicionais de atingir 47% da produção de eletricidade através de fontes renováveis e ter emissões negativas de dióxido de carbono equivalente a 400 mil toneladas até 2030.
Tendo em conta as condições económicas, ambientais e sociais e a ambição destas metas, STP deverá depender de apoio externo, tanto técnico como financeiro e, também, na capacitação (daí serem contribuições condicionadas).
As metas definidas no âmbito do Plano de Transformação do Setor Elétrico em São Tomé e Príncipe (PTSE) são ligeiramente mais ambiciosas almejando atingir uma penetração de 55% de energia elétrica de fontes renováveis em 2030.
As metas incluem ainda, atingir níveis elevados de acesso à energia e medidas de eficiência energéticas, tais como substituição de lâmpadas, eficiência dos equipamentos de frio e de queima da biomassa.

A Transição Energética é o processo de passagem de um mix de produção de energia baseado em energias fosseis para um mix baseado em energias sustentáveis (ou descarbonizadas), em particular, para energias renováveis.
A introdução de uma inovação, seja uma nova tecnologia seja uma nova medida, não é apenas uma substituição de uma por outra. Implica, muitas vezes, uma reconstrução do contexto onde essa tecnologia/medida vai-se desenvolver. Implica considerar as relações existentes entre a tecnologia/medida a ser substituída e a envolvente (instituições, sociedade, economia, história, regulamentos e hábitos).

Veja aqui o Plano Nacional de Formação para a Transição Energética

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD São Tomé e Príncipe 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue