Foto: Edlena Barros

Foi inaugurado hoje o laboratório Científico da Polícia Judiciária de São Tomé e Príncipe. A cerimónia presidida pela Ministra da Justiça, Administração pública e direitos humanos, Ivete Correia Lima serviu também para entregar os certificados aos seis inspectores que foram formados em criminalística pela polícia Judiciária de Portugal e Cabo verde.

Esta é uma actividade que acontece no âmbito do projecto de Apoio a consolidação do Estado de Direito nos Palop + Timor Leste, financiado pela União Europeia e cofinanciado e gerido pelo Camões I.P. No caso concreto de São Tomé e Príncipe, o PNUD foi um dos parceiros na sua implementação.  Por isso em representação do PNUD, o Assistente da Representante Residente para Programa, Adérito Santana, disse que o PNUD tem vindo a apoiar São Tomé e Príncipe na capacitação do seu sistema de justiça, tanto a nível dos recursos materiais, como na capacitação dos recursos humanos. “Um Laboratório de Polícia Científica devidamente aprovisionado é um recurso inestimável na realização de uma justiça mais célere e transparente, libertando-a da subjectividade sempre associada à prova testemunhal, sobretudo quando esta é, como tantas vezes acontece em São Tomé e Príncipe, a única a ser produzida em julgamento”, afirmou.

A Ministra da justiça, Administração Pública e Direitos Humanos, Ivete Correia Lima afirmou no seu discursos que a PJ tem enfrentando “inúmeras dificuldades”, principalmente na realização de perícias de interpretação dos indícios materiais relativos aos crimes devido a falta de um laboratório científica, pelo que este laboratório será um “instrumento crucial para a consolidação do estado de direito democrático, considerando que a investigação criminal nos dias de hoje implica a existência de estruturas organizacionais altamente especializadas, com elevados níveis de eficácia e de capacidade de resposta, dotadas de meios adequados”, afirmou a Ministra.

Orçado em cerca de 200 mil euros, o novo laboratório promete trazer uma nova dinâmica a investigação criminal e São Tomé e Príncipe, uma vez que os recursos humanos dotados de novas valências e meios científicos são imprescindíveis para garantir uma justiça mais célere e justa.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD São Tomé e Príncipe 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue