Foto: Edlena Barros

O PNUD está a mudar a forma de trabalhar com os diversos fornecedores locais sedeados em São Tomé e Príncipe. A introdução da plataforma digital de aquisição, E-tendering, irá mudar a forma como o escritório se relaciona com as diversas empresas no país, digitalizando todo o processo. Por isso, diversos representantes de empresas que trabalham ou querem vir a trabalhar com o PNUD estiveram reunidos durante dois dias numa sessão de formação que teve por objetivo apresentar a plataforma e explicar o funcionamento da mesma.

O PNUD é considerado no mundo a organização número um no que toca à transparência. “Significa que nós estamos sempre à procura de novas maneiras de trabalhar, com mais inovação e segurança. E-tendering é definitivamente uma tentativa de melhorar a transparência, eficácia e a forma como nós fazemos negócio”, disse a Representante Residente do PNUD, Kasia Wawiernia.

A mudança acontece nos 170 países onde o PNUD tem escritórios ou representações. A novidade é que a plataforma permite de imediato o registo online da empresa, assim como a submissão de outros documentos solicitados, dispensando o uso de papel e garantindo maior segurança e transparência em todas as fases do processo.

“Esse novo sistema reduz o tempo para depositar o nosso orçamente, é de fácil acesso e podemos participar em concursos a nível nacional e internacional disponível no sistema. Após a avaliação das diversas propostas, nós recebemos um resumo das mesmas, o que hoje não acontece”, disse Elsa Viana, representante de uma empresa que presta serviço ao PNUD.

Ao ter acesso a esta plataforma, os fornecedores em São Tomé e Príncipe passam também a estar visíveis nos diferentes países onde a ONU opera. Um facto, que segundo a Representante Residente do PNUD só poderá trazer vantagens.

“Competitividade e abertura de mercado são princípios importantes na nossa organização. Pois, não trabalhamos apenas com o mercado local, o que vos obrigará também a serem mais competitivos”, sublinhou.

Como parte da nova dinâmica que a organização introduz com a nova geração do PNUD para o mundo, a digitalização trás maior confiança aos fornecedores.

“Este programa vem mudar a má perceção que muitas vezes, nós como fornecedores temos do PNUD. A minha opinião agora é outra relativamente a muitas matérias, cujos processos duvidada”, disse Carlos Boa Morte.

Como qualquer mudança, a introdução do E-tendering trará novos desafios aos fornecedores locais que começa com o uso constante das novas tecnologias, em que a internet é ferramenta fundamental.

PNUD PNUD no mundo

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue