São Tomé e Príncipe 2030 - O país que queremos

18 déc. 2014
image

São Tomé e Príncipe cumpriu, apenas parcialmente, os compromissos
voluntariamente assumidos no quadro dos Objetivos do Milénio.
Impõe-se, por isso, que o combate pelo desenvolvimento prossiga,
ancorado na identificação de novos desafios e num horizonte temporal
renovado. A pronta adesão do PNUD à solicitação do Governo levou à
instituição de um grupo ad hoc, encarregado de auscultar as aspirações
dos são-tomenses. Estas seriam, desta feita, o ponto de partida para a
definição de novos objetivos de desenvolvimento.

 

Concluída a fase de auscultação e elaborado o Relatório das Aspirações, afigurou-se adequado e proveitoso construir-se, a partir do conjunto das aspirações, uma VISÃO para o país tendo como meta o ano de 2030. Neste processo, começou-se por qualificar as referidas aspirações, considerando a importância relativa de cada para a efetivação do desenvolvimento e do progresso nacional. Por conseguinte, cada aspiração referenciada foi minuciosamente escrutinada, devidamente sopesados os riscos e ameaças para o processo de desenvolvimento, o que permitiu destacar nove, consideradas condicionantes maiores do processo de construção\materialização da Visão para 2030.